Desmistificando a ideia de que o bonsai se resume a árvores raquíticas ou que precisam de cuidados especiais, o Kensho começou por se dedicar no seu início, de 2009 a 2014, à formação na arte bonsai, tendo realizado formação a mais de duas centenas de aficionados.


Em 2015, o Kensho renasce com uma nova imagem.

Com um espaço renovado e com uma colecção de bonsai que conta com árvores importadas do Japão e árvores autóctones é um espaço de referência em Portugal.

O Kensho pretende ser um espaço de referência na arte bonsai aliando a técnica milenar desenvolvida no Japão com o desenvolvimento da arte na Europa. Hoje, com o lançamento deste website, tentamos fomentar o crescimento desta arte e despertar consciências para a verdadeira arte bonsai.

 

Márcio Meruje

Márcio Meruje nascido em 1985 na cidade da Covilhã iniciou-se no bonsai no ano de 2003.

Realizou em 2004 um curso de introdução à arte bonsai e durante os anos seguintes tirou várias formações com profissionais em Portugal. Já no ano de 2008, aquando do seu percurso académico, realizou o Programa Erasmus na Bélgica e contactou Jean-Paul Polmans para poder colaborar no seu estúdio (www.momiji.be). Nos seis meses seguintes colaborou semanalmente com Jean-Paul Polmans e teve vários estágios com outros artistas internacionais, como por exemplo o reconhecido mestre de bonsai japonês Hotsumi Terakawa. Realizou a sua primeira exposição europeia apresentando árvores trabalhadas por si no Noelanders Trophy, em Janeiro de 2009.

Já em 2011 realizou estágios com Mario Komsta, profissional reconhecido internacionalmente que realizou durante 5 anos uma aprendizagem da arte bonsai no Japão no viveiro do mestre Nobuichi Urushibata, Taisho-En.

Márcio Meruje dedicou-se nos últimos anos à formação, nomeadamente cursos de introdução à arte bonsai, desde Norte a Sul do País e é convidado para demonstrações, cursos e palestras de bonsai um pouco por toda a Europa. De destacar a participação em eventos como a exposição do clube belga Eda Uchi Kai, o evento Burrs organizado por Tony Tickle em Inglaterra e muitas outras exposições nacionais.

Participa regularmente com árvores em congressos nacionais e é membro de vários clubes nacionais e europeus. Colabora actualmente com vários profissionais europeus na manutenção de colecções e estilização de exemplares.